segunda-feira, 18 de março de 2013

Tipos de correntes X Nomes das correntes


As correntes elétricas utilizadas nos tratamentos eletroterápicos são de baixa (1 a 200 Hz) ou de média frequência (1.000 a 4.000Hz) e de 3 tipos: 
1- Corrente direta: caracterizada por um fluxo unidirecional e contínuo de partículas carregadas com duração de pelo menos 1 segundo;
2- Corrente alternada: caracterizada por um fluxo bidirecional e contínuo de partículas carregadas, sendo que a mudança de direção do fluxo ocorre pelo menos uma vez a cada segundo;
3- Corrente pulsada: caracterizada por um fluxo breve, unidirecional ou bidirecional de elétrons ou íons separados por um breve período no qual não há fluxo elétrico.
Cada tipo de corrente permite o ajuste de um conjunto de parâmetros, os quais são determinados para a conquista de um objetivo específico. É papel do fisioterapeuta identificar nos geradores de corrente elétrica disponíveis no mercado o tipo de corrente que ele fornece e, assim, determinar seus efeitos fisiológicos (eletroquímico, motor ou sensitivo) e suas principais aplicações terapêuticas. Por exemplo: corrente Galvânica = corrente direta; correntes Interferencial, Russa e Aussie = corrente alternada; correntes pulsada de alta voltagem, diadinâmicas, FES, TENS = corrente pulsada.

Portanto, na hora da aquisição de um gerador de corrente elétrica, é importante considerar: 1- o efeito terapêutico que se deseja; 2- o tipo de corrente que o aparelho produz; 3- os parâmetros eletroterapêuticos disponíveis para ajuste e a faixa de ajuste para cada um; 4- o número de canais do gerador e 5- a presença do certificado de calibração / selo INMETRO. Lembrando que o que realmente importa são os tipos de correntes oferecidas pelo aparelho e não o nome comercial dado pelo fabricante ao equipamento.

6 comentários:

  1. Ao conhecer os parâmetros disponíveis de ajuste é vantajoso para o terapeuta possuir TENS e FES na sua clínica?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os geradores de correntes ´´TENS`` e ´´FES`` utilizam, ambos, corrente pulsada, com pulsos com as mesmas características. A diferença básica entre essas duas correntes está nos parâmetros de ajuste de cada uma. Nos geradores ´´TENS`` são permitidos ajustes da frequência, da duração de pulso e da amplitude da corrente (limiar de estimulação); nos geradores ´´FES``, soma-se aos parâmetros descritos anteriormente, o ajuste das rampas (subida e descida) e do duty cicle (tempo ON/OFF). Sendo assim, com exceção às modulações de frequência e de amplitude (p.ex., VIF, IFM, burst) que também são possíveis nos geradores de corrente ´´TENS``, é possível regular os geradores de corrente ´´FES`` para ´´funcionar´´ como um gerador de corrente ´´TENS``. Basta, para isso, zerar os parâmetros rampa de subida, rampa de descida, tempo ON e tempo OFF e ajustar a frequência, a duração de pulso e a amplitude da corrente na faixa adequada para obtenção dos benefícios analgésicos.

      Excluir
  2. Eu gostaria de um post explicando as funções VIF, Burst e IFM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As funções VIF (variação de intensidade de frequência), Burst (intervalo finito de corrente alternada fornecido em uma frequência estabelecida sobre um intervalo de tempo predefinido) e IFM (do inglês, intensity and frequency modulation) são usadas para modificar de maneira sequencial, intermitente ou variada algumas das características da corrente. Essas modificações são chamadas de modulação e normalmente estão relacionadas a variações automáticas na amplitude (modulação de amplitude), na frequência (modulação de frequência) e no tempo (modulação de tempo). Essas funções são comumente usadas para minimizar a acomodação, principalmente quando a corrente elétrica é usada para o controle da dor.

      Excluir
  3. Realmente é importante a identificação do tipo de corrente que o aparelho fornece no ato da compra, para que não façamos a escolha errada e desperdiçamos dinheiro, tendo em vista o auto preço de alguns aparelhos.

    ResponderExcluir

Deixe seu cometário aqui.