terça-feira, 24 de setembro de 2013

Utilização da eletroterapia na redução de linfedema durante tratamento contra o câncer de mama

O câncer de mama é uma espécie de tumor maligno que vêm acometendo cada vez mais mulheres no mundo. No Brasil, em 2008, foram registrados 49.400 novos casos, com uma taxa mórbida de 37.122 , segundo o Datasus & INCA. Uma das maiores complicações para o tratamento da doença, é o diagnóstico tardio, que acaba impedindo a sua cura definitiva.  Os principais tratamentos para o câncer de mama são: A retirada do tumor cirurgicamente, a quimioterapia, a hormonioterapia e a radioterapia. Além disso, o tratamento pós-cirúrgico é composto por uma equipe multidisciplinar que inclui, entre outros profissionais, o fisioterapeuta. Nesse caso, a fisioterapia entra como um recurso para a recuperação funcional da mulher e para diminuir a chances de possíveis complicações nesse período. Uma dessas complicações, é o aparecimento de linfedemas, que, dentre outras formas, pode ser tratado através de aplicações eletroterápicas, usando a corrente High Volt ou corrente de Alta Voltagem.

O linfedema é na verdade um acúmulo de líquido no tecido intersticial. Geralmente ocorre após  cirurgias de neoplasia mamária, em que a margem de segurança abrange a retirada de alguns linfonodos, como forma de evitar a disseminação de metástase. No entanto, essa técnica acaba destruindo alguns vasos linfáticos e, com isso, a linfa extravasa, formando tumefações no interstício. O linfedema pode provocar inchaço do membro superior homolateral ao tumor, dor, contraturas, aumenta a chances de infecções, diminui a oxigenação tecidual, além de levar ao surgimento de um linfoangiosarcoma. Para diminuir o linfedema e minimizar os seus efeitos, alguns autores examinaram os efeitos da corrente elétrica High Volt como tratamento, obtendo resultados positivos.
Um dos estudos mais conhecidos nessa área pertence ao fisioterapeuta Garcia, L. B. et al (2005, Revista Brasileira de Fisioterapia). Os  autores utilizaram nesse trabalho o aparelho Neurodyn High Volt da IBRAMED, configurado nos seguintes parâmetros:

   1- Corrente usada: Corrente pulsada de alta voltagem, monopolar (negativa);
   2- Frequência : 50 Hz, modo de estimulação sincronizado;
   3- Tempo ON/ OFF: 3:9 segundos
   4- Rise/Decay:  2:1 segundos
   5- Limiar: Motor
   6- Amplitude: modulada gradativamente, respeitando o conforto das voluntárias no estudo.

Durante o programa, foram realizada duas sessões de eletroterapia por semana durante 7 semanas, o que corresponde no total 14 sessões. Cada sessão durou em média 20 minutos.
 Os resultados obtidos no final desse estudo foram positivos, indicando uma redução volumétrica do edema de 8,53% e uma diminuição da severidade em 4,35%. Além desse estudo, outros autores também obtiveram  bons resultados quanto a aplicação da High Volt no tratamento de linfedemas. Dentre eles, Cook et al, demonstraram que a corrente de alta voltagem promove redução da saida de proteínas dos vasos linfáticos, bem como a acentuação da passagem dessas proteínas pelos canais linfáticos e a formação de anastomoses linfáticas.

Existem também outras várias técnicas fisioterápicas utilizadas para a redução de linfedema, como massagem, compressão pneumática e bandagem compressiva que já foram testadas e comprovado sua eficácia por diversos autores. Apesar de ser preciso desenvolver mais estudos sobre a aplicação da corrente High Volt, é concluido que utilizar esse tipo de corrente no tratamento pós-mastectomia  trás efeitos positivos ao paciente e pode ser usada sem grandes receios em relação a efeitos colaterais, desde que os parâmetros sejam configurados corretamente.
 Para saber mais sobre  o estudo de Garcia, L. B. et al, abaixo se encontra o link do artigo completo: Efeitos da estimulação de alta voltagem no linfedema pós-mastectomia
http://www.crefito3.com.br/revista/rbf/05v9n2/pdf/243_248_estimulacao.pdf

8 comentários:

  1. Desconhecia atuação da corrente de alta voltagem pós-cirúrgico de câncer de mama. Segundo o estudo, é uma ótima alternativa para evitar complicações da cirurgia.

    ResponderExcluir
  2. O câncer de mama é um dos tipos mais agressivos de câncer e que tem acometido um grande de mulheres nos últimos tempos; por isso que quanto mais opções de tratamento forem exploradas, melhor a recuperação das pacientes e o prognóstico.
    Achei interessante a aplicação da corrente high volt na redução do linfedema, já que promover a cicatrização de feridas, o reparo tecidual e a contração de pequenos grupos musculares são as principais indicações expostas pela literatura.
    Phillipe Marques, 4° período de Fisioterapia (PUC Minas).

    ResponderExcluir
  3. A escolha do artigo, trouxe respaldo ao tema abordado, Além de citar outras alternativas ao tratamento de linfedema pós mastectomia e a importância da fisioterapia atuando de forma multidisciplinar na equipe. achei bem informativo. Muito bom!

    Michelle Araújo do Nascimento ( 4º período - fisio PUC)

    ResponderExcluir
  4. Ana Flávia Diniz Sousa - 4º período4 de novembro de 2013 12:53

    Achei o assunto super interessante e informativo. O vídeo ficou super bacana, muito boa escolha.

    ResponderExcluir
  5. Eduarda Bueno Dornellas5 de novembro de 2013 18:16

    Assunto muito interessante. Não sabia que a eletroterapia tinha um efeito tão significativo no câncer de mama. Adorei!

    EDUARDA BUENO DORNELLAS - 4º PERIODO

    ResponderExcluir
  6. Samara- 4º período6 de novembro de 2013 19:05

    Achei muito interessante. Não fazia ideia que a eletroterapia poderia ser usada em casos de linfedema
    Parabéns

    ResponderExcluir
  7. Muitas vezes vemos muitos recursos serem contraindicados em casos de câncer, as informações e o tema desse post são de extrema importância uma vez que nos apresenta a eletroterapia como recurso auxiliador no tratamento do câncer isso é muito interessante.
    Luísa Nassif Silva 4° período- fisioterapia

    ResponderExcluir
  8. Não sabia que podia usar a corrente de alta voltagem em pós-cirúrgico de câncer de mama. Achei muito interessante o tema abordado.

    Thaís Alves 4º Período

    ResponderExcluir

Deixe seu cometário aqui.