terça-feira, 22 de novembro de 2016

Gaiola de Faraday, você usa?


     A Gaiola de Faraday foi criada em 1836, pelo britânico Michael Faraday. Este tinha por intuito provar o efeito da blindagem elétrica, revestindo as paredes de uma sala, que possuía no seu interior um eletroscópio, com lâminas metálicas, produzindo assim, descargas de alta tensão do lado externo da sala, com uma maquina eletrostática. Com o experimento, pôde-se verificar que o eletroscópio não delatou excesso de carga elétrica.
     Diante disso, as telas de metal, ou seja, a Gaiola de Faraday tem por finalidade isolar o campo eletromagnético de um local específico. Assim, se o campo for produzido dentro da Gaiola, o objetivo é fazer com que este não abranja o local para além desta. Agora, se o campo for produzido do lado de fora da Gaiola, esta tem por finalidade, impedir que o campo vá para dentro dela, protegendo-a.
     Considerando a finalidade da Gaiola de Faraday já supracitada, era de se esperar que esta estivesse em Clinicas de Fisioterapia, com o intuito de preservar a saúde dos fisioterapeutas e dos seus pacientes, já que alguns tratamentos utilizados são realizados com equipamentos de radiação eletromagnética. Mas, será que os profissionais da Fisioterapia sabem o que é a Gaiola da Faraday? Para quê esta serve? Eles usam? E, existe êxito na utilização desta?
     Com o intuito de verificar a utilização do equipamento, fizemos estas mesmas perguntas para alguns profissionais da Fisioterapia e obtivemos diferentes respostas. Conseguimos nos comunicar com quatro fisioterapeutas da cidade de Belo Horizonte- MG, sendo que dois destes não sabiam o que era a Gaiola. Um destes fisioterapeutas definiu a Gaiola como sendo um “metal que protege o paciente e o profissional” quando este é submetido a tratamentos que utilizam o equipamento Ondas Curtas, que é um recurso de diatermia. E, por fim, o ultimo fisioterapeuta nos disse que tinha conhecimento sobre a Gaiola de Faraday, mas não acreditava na sua eficácia. 

     Após estas pequenas entrevistas, procuramos na Literatura sobre a eficácia da Gaiola de Faraday, e encontramos o artigo “Exposição ocupacional de fisioterapeutas aos campos elétrico e magnético e a eficácia das gaiolas de Faraday”, que é um estudo realizado pelo físico e doutor Emico Okuno, especialista em física médica; pelo Sérgio Colacioppo, graduado em farmácia e bioquímica e doutor em saúde publica; e pela professora Iracimara de Anchieta Messias, fisioterapeuta e doutora em saúde publica e pós-doutora pelo instituto de física da Universidade de São Paulo.
     Neste artigo, foi exposta uma pesquisa sobre a eficácia da gaiola de Faraday em clinicas de Fisioterapia da cidade de Presidente Prudente-SP. Assim, os estudiosos analisaram os aparelhos de Ondas Curtas e a reprodução de energia eletromagnética durante alguns tratamentos, com o objetivo de medir a exposição dos fisioterapeutas aos campos eletromagnéticos e compará-los com os níveis de exposição recomendados pelo ICNIRP (International Commission on Non-Ionizing Radiation Protection).
Com esta comparação, foi possível perceber que as intensidades dos campos eletromagnéticos eram acima do nível recomendado pela ICNIRP. Os autores concluíram que existe o risco de exposição do profissional ao tipo de radiação proveniente do Ondas Curtas durante o tratamento e que a gaiola de Faraday para a proteção não é eficaz contradizendo um dos fisioterapeutas que entrevistamos.
     Diante do estudo exposto, das entrevistas realizadas e da definição da gaiola de Faraday, podemos observar uma contradição sobre a eficácia do equipamento. Mas, com as pesquisas realizadas, concluímos que a gaiola de Faraday tem eficácia sim, quando utilizada corretamente, ou seja, a posição desta tem que ir de acordo com a área na qual esta tem o intuito de isolar, proteger. Assim, concluímos que os fisioterapeutas têm que utilizar, CORRETAMENTE, este equipamento nas clinicas, protegendo não somente o paciente, como também as outras pessoas que podem estar no ambiente e protegendo a si mesmo. 

Referências Bibliográficas:

Gaiola de Faraday. Disponível em: http://www.rc.unesp.br/showdefisica/99_Explor_Eletrizacao/paginas%20htmls/Gaiola%20de%20Faraday.htm#Mais_sobre_Gaiolas_de_Faraday . Acesso em 18 de outubro de 2016

MESSIAS, Iracimara de Anchieta Messias; OKUNO, Emico e COLACIOPPO, Sérgio. Exposição ocupacional de fisioterapeutas aos campos elétrico e magnético e a eficácia das gaiolas de Faraday. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v30n4/v30n4a04.pdf  Acesso em 18 de outubro de 2016.

16 comentários:

  1. Leiga na área, desconhecia essa Gaiola de Faraday. Mas ao ler o artigo, vi a importância da mesma para preservar a saúde dos profissionais Fisioterapeutas e seus pacientes, assim como demais pessoas que estiverem no local onde acontece o tratamento por radiação.
    Parabéns às alunas(os) que fizeram o artigo e à Professora Dra. Angélica pelo incentivo e dedicação.

    ResponderExcluir
  2. Brilhante! Irei aprofundar mais os estudos e tentar aplicar em minha clínica!

    ResponderExcluir
  3. Adorei meninas, parabéns a orientadora!

    ResponderExcluir
  4. É muito importante para os profissionais da área terem o conhecimento cientifico dos aparelhos que estão utilizando, parabéns a professora por passar esta pesquisa com os profissionais da área aos alunos!

    ResponderExcluir
  5. Excelente post..muito informativo e ajudou em um trabalho que eu estava fazendo..obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante o tema, não tinha conhecimentos sobre o assunto. Parabéns ao grupo, ótimo texto!

    ResponderExcluir
  7. Mariana Maria Rodrigues23 de novembro de 2016 10:22

    Adorei o Post. Parabéns aos acadêmicos.

    ResponderExcluir
  8. Ótima colocação sobre a Gaiola de Faraday. Eu não sabia o que era e muito menos pra que servia. Parabéns ao blog por abordar este ótimo tema e com ótima explicação!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Pessoal, super interessante.

    ResponderExcluir
  10. Cristina Rocha Ribeiro23 de novembro de 2016 10:24

    Trabalho na área e não sabia dessa possibilidade de proteção. Adorei!

    ResponderExcluir
  11. A pesquisa demonstra a necessidade do profissional buscar mais conhecimento em sua área e estudar os instrumentos disponíveis para usa-los da melhor maneira. Parabéns pelo trabalho, a partir dele muitos fisioterapeutas podem conhecer as vantagens da Gaiola de Faraday.

    ResponderExcluir
  12. Sou fisioterapeuta a 3 anos em uma clínica aqui do Rio Grande do Sul. Vi o poste divulgado na FISIOBRASIL e achei super interessante. Uma matéria educativa com grande aprofundamento teórico. Parabenizo a todos !

    ResponderExcluir
  13. Ótimo artigo! Super interessante e muito bem explicado, até mesmo para quem não é da área (assim como eu). É uma pena saber que alguns fisioterapeutas desconhecem tal recurso, mas é ao mesmo tempo reconfortante saber que profissionais como a professora Dra. Angélica Araújo passam isso aos seus alunos, formando assim futuros fisioterapeutas com o conhecimento sobre esse assunto de tamanha importância para a saúde de seus pacientes (e deles próprios inclusive). Parabéns aos alunos que fizeram e à professora orientadora!

    ResponderExcluir

Deixe seu cometário aqui.